Deixar para lá

Eu achava que tinha aprendido a deixar para lá...

Por muito tempo deixei que coisas pequenas não me atingissem.
Que a falta de sensibilidade, que o sarcasmo, que a desonestidade intelectual, que a birra/pirraça não tirassem a minha paz ou alegria.

O vácuo sempre foi minha resposta para tentar manter meu bem-estar e a " tal amizade".

Mas eu tô em um momento que as coisas realmente me machucam como se fossem punhaladas. Às vezes me sinto com uma máscara pq meu rosto esta ali sem expressão, mas as lágrimas caem sozinha e eu tenho chamado isso de desespero da minha alma.
Nem sou mais um conjunto a sofrer. São partes individuais de mim que tem sofrido, mesmo com esse sofrimento sendo um somatório de tudo o que tenho passado até aqui.

Ainda assim, a vida acaba me surpreendendo e eu vejo que coisas que falo em forma de desabafo são usadas contra mim para criticar "um geral" que não existe.
Eu não sou burra, infelizmente eu sou amiga.
Na verdade, FUI amiga demais e hoje recebo nas costas o olhar, as palavras e o silêncio de uma culpa que não tenho.

Realmente existem coisas a serem aproveitadas na vida, no ano, coisas para se agradecer e uma dessas é que a vida mostra quem é quem, ela te ensina lições dolorosas em todo o processo de crescimento.
Mas sempre me achei uma boa aluna em interpretação e o texto de como você é por completo e age, está todo aqui na minha mesa.

Pronto para que eu dê o meu adeus sem dessa vez deixar para lá.

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Linezzer Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo